DA ESCHOLA LIVRE DE PHARMACIA À FACULDADE DE CIÊNCIAS FARMACÊUTICAS

Itinerância

A exposição comemorativa dos 120 anos da Faculdade de Ciências Farmacêuticas da USP esteve um ano itinerando, primeiramente no Centro Universitário Maria Antônia - CEUMA, depois no Congresso de História da Ciências na FFLCH - USP prédio da História, na sequência uma edição incrível na Biblioteca do Conjunto das Químicas da USP e finalizando o roteiro um edição comemorativa dos 120 anos no prédio original da Faculdade de Farmácia na Rua Três Rios nas Oficinas Culturais Oswald de Andrade, que atualmente ocupa o edofício que foi sede da Faculdade em seus primórdios. Lindo Percurso que demarcou estas festividades ! Viva a FCF USP e sua história !

Farmácia Antiga no CEUMA
Farmácia Antiga no CEUMA

press to zoom
Linha do tempo no Congresso de História da Ciência
Linha do tempo no Congresso de História da Ciência

press to zoom
Três Rios Visão Panorâmica
Três Rios Visão Panorâmica

press to zoom
Farmácia Antiga no CEUMA
Farmácia Antiga no CEUMA

press to zoom
 
Expo._FCF_120_anos_360-18_foto_Cecília_B

DA ESCHOLA LIVRE DE PHARMACIA À FACULDADE DE CIÊNCIAS FARMACÊUTICAS DA USP, 120 ANOS DE EXCELÊNCIA.

30 de outubro de 2018 a 28 de fevereiro de 2019

A exposição “Da Eschola de Pharmacia à Faculdade de Ciências Farmacêuticas da USP, 120 Anos de Excelência, é fruto de projeto desenvolvido pelo Centro de Memória da Faculdade, CEMEF e tem por motivo revelar a Faculdade por meio de uma visão ampla de sua trajetória acadêmica que produz conhecimento há mais de um século.
A pesquisa desenvolvida pelo Centro de Memória da Faculdade de Ciências Farmacêuticas, para a execução deste projeto, promoveu a recuperação da História institucional e contribuiu para a formação e melhoria dos acervos documentais e museológicos da Instituição, o que se alinha a uma política prioritária, e mais ampla, adotada, atualmente, pela Diretoria e pela Comissão de Cultura e Extensão da Faculdade de Ciências Farmacêuticas.
A Curadoria de conteúdo é da Profa. Dra. Primavera Borelli, juntamente com a Comissão formada pelos membros do CEMEF , e o Conceito e Direção de Arte corre por conta da artista Visual e Curadora Ângela Barbour, que também é Farmacêutica Bioquímica e Doutora em Artes.
A partir deste convite, a artista propõe um viés totalmente novo à exposição, onde arte e ciência unem-se para mostrar de forma sensível a da história da Faculdade. 
"O laboratório, a bancada de manipulação, os instrumentos, remetem ao fazer de um ateliê. Concebemos então a exposição como uma obra de arte, criada coletivamente. Através do envolvimento de toda comunidade da Faculdade, num processo de imersão em sua história e ressignificação de conteúdos, criar uma obra capaz de transmitir todo o potencial que este curso pode oferecer. Pharmakón do grego clássico, planta ou poção de uso medicinal ou mágico, usada para designar tanto os remédios quanto os venenos, mostra a amplitude do conhecimento produzido nesta Escola. Foi nestes detalhes, mágicos e muitas vezes escondidos, que fomos buscar inspiração. Visitando cada laboratório, conversando com cada pessoa e deixando vir a tona o brilho no olhar. Colhendo imagens incríveis onde as vezes parecia haver nada importante” comenta Ângela . 
A artista, que trabalha com instalações e intervenções que tratam da memória, e tem como método de criação a imersão e a coleta de histórias pessoais e objetos, reproduz este processo para coletar os dados para a exposição tornando-a singular, e um misto de exposição histórica e artística.
A mostra contempla uma rica linha do tempo, um vasto recorte do acervo do CEMEF, entre fotografias, documentos, objetos e mobiliário que são dispostos para recriar uma farmácia antiga em forma de uma instalação artística. Serão também mostradas reproduções de uma interessante coleção de anúncios farmacêuticos antigos, além de imagens captadas das atuais atividades da Faculdade e das entidades que a circundam
A mostra que acontece no Centro Universitário Maria Antonia-USP, possibilita aos visitantes, conhecer parte da História da Ciência de nosso país e, àqueles mais jovens, que possam vislumbrar a área das Ciências Farmacêuticas e até a possibilidade de um futuro profissional.